opera-inside-Norma-Vincenzo_Bellini-Synopsis_Handlung_Trama_résumé-Casta_diva-Aria

Guia de ópera em linha e sinopse da NORMA de Vincenzo Bellini

Norma é uma ópera eficaz, escrita com o espírito heróico do seu tempo. Uma história cheia de paixão e com um final trágico. O que Lucia di Lammermoor foi para Donizetti é Norma para Bellini, é a sua obra de assinatura e talvez a maior obra-prima da era Belcanto.

 

 

Conteúdo

Synopsis

Acto I (Cena florestal, Na casa da Norma)

Acto II (Cena de Amizade, Cena do Templo)

Recomendação de gravação

 

 

Fortíssimos

Meco all’altar di Venere

Casta Diva

Ah! bello a me ritorna

Oh di qual sei tu vittima (Terzetto)

Perfido! Vanne, si (Terzetto)

Mira o Norma (Duett Adalgisa, Norma)

Qual cor tradisti! (Quartetto)

Deh! non volerli vittime

 

 

 

Synopsis de NORMA

 

 

 

 

 

uma simbiose artística

Graças ao seu sucesso com a ópera “I Capuleti e Montecchi” no Teatro Veneziano La Fenice, Bellini foi encarregado pela direcção de La Scala (que também dirigiu a Fenice) de escrever duas óperas para a temporada 1831/32. O papel principal na primeira ópera, Norma, seria desempenhado por Giuditta Pasta, que pouco antes tinha brilhado como Armina em Sonnambula de Bellini e tinha o seu primeiro contrato com La Scala. Ela tornou-se uma referência importante para a obra de composição de Bellini e ele escreveu-lhe que tinha concebido este papel “per vostro carattere enciclopedico”.

 

 

Norma um papel para as grandes divas

Norma funciona melhor quando é cantada por grandes vozes de ópera. É talvez A parte do dramático bel canto. Ao seu lado, esta parte não tolera uma Adalgisa medíocre ou Pollione, o que torna o elenco desta ópera um pesadelo. O elenco da primeira representação em 1831 era assim constituído por dois dos maiores sopranos da história da ópera. Giuditta Pasta foi a primeira Norma e Giulia Grisi a primeira Adalgisa. Mais tarde na história da ópera, Maria Malibran, Jenny Lind, Rosa Ponselle, Joan Sutherland e, claro, Maria Callas destacaram-se como Normas.

 

 

Maria Callas’ Norma

Neste momento, devemos também falar sobre a importância da Norma de Maria Callas. Toscanini foi da opinião de que é impossível lançar adequadamente a Norma, devido às muitas exigências do papel. Se uma pessoa foi bem sucedida nisto na idade da gravação, foi Maria Callas. Mais importante, foi a sua interpretação que trouxe de volta à moda o repertório de Belcanto. O subsequente renascimento de Bellini e Donizetti não teria sido possível sem ela, e Norma é o título mais importante neste repertório.

 

 

uma colaboração artística altamente frutuosa com o libretista Felice Romani

Louvor também vai para o letrista Romani, que encontrou palavras inspiradoras para esta ária. O romani foi o libretista mais procurado do seu tempo. Tinha 15 anos de idade, e Bellini desenvolveu uma amizade numa idade precoce que era propícia à colaboração. Romani escreveu um total de sete libretos de ópera para Bellini durante um período de seis anos, tornando-o uma referência literária importante para o compositor precoce e produtivo.

 

 

O fracasso da estreia

A estreia no La Scala em Milão foi um fiasco. Diz-se que a actuação sofreu com o facto de os cantores estarem exaustos dos ensaios e Bellini também lamentou uma claque hostil. Teorias de conspiração românticas falavam mesmo de uma intriga paga pela ex-amante de Bellini, a Condessa russa Samoylov, que na altura deveria ter uma ligação com um concorrente de Bellini. O público ficou provavelmente simplesmente surpreendido com a novidade da ópera.
A segunda apresentação já trouxe o avanço e Norma foi representada mais trinta e uma vezes na mesma época de La Scala. Começou rapidamente a sua procissão triunfal por toda a Europa e foi apresentada em Nova Iorque apenas 8 anos mais tarde.

 

 

O papel do coro

A variedade musical desde cenas de guerra a cerimónias religiosas e muitos acompanhamentos dramáticos testemunham a importância que Bellini atribuiu ao coro. Não só os muitos números corais independentes atestam isto, mas também o acompanhamento de muitas passagens solistas com funções cénicas e musicais.

 

 

 

 

Acto 1

 

 

Synopsis: Na floresta sagrada dos druidas. Está em curso uma cerimónia. A Norma visionária cortará os azevinhos sagrados esta noite e anunciará a vontade do deus Irminsul. Os guerreiros gálicos marcham solenemente.

A abertura é uma peça simples mas eficaz, que recebe a sua beleza da arte melódica beliniana. Ouvimos uma bela introdução orquestral conduzida por Toscanini.

Obertura – Toscanini

 

Synopsis: Oroveso, o druida supremo e pai de Norma, abre o rito. Ele e os druidas esperam que o oráculo profetize uma revolta contra os ocupantes romanos.

Oroveso continua a ser bastante pouco imponente em toda a ópera do ponto de vista paisagístico. Ele não tem de fazer muito mais do que parecer sério. Musicalmente Bellini escreveu uma parte muito bonita para o baixo. Esta cena lembra muito a cena do Nabucco de Verdi 10 anos mais tarde, com Zaccharia como sumo sacerdote e os judeus.

Ite sul colle – Rossi

Pollione’s role

Synopsis: Pollione, o procônsul dos ocupantes romanos, é acompanhado pelo centurião Flavione na floresta. Pollione teve secretamente dois filhos com Norma, que quebrou assim o seu voto de castidade como sacerdotisa. Durante algum tempo teve uma relação com a mais nova Adalgisa. Agora foi chamado de volta a Roma e quer levá-la com ele. Conta a Flavione o seu sonho no qual Norma se vingou dele.

O papel do pollione é classificado em círculos de tenor como “B-roll”. Embora importante, a figura do Pollione é claramente ofuscada pelos dois papéis femininos. Não aprendemos muito sobre o seu carácter e os seus motivos durante a ópera, pelo que o papel permanece superficial em termos cénicos. Musicalmente, o papel exige uma voz poderosa e rica em tenor. Assim, esta parte foi muitas vezes cantada pelas vozes mais robustas como Corelli ou del Monaco.

Meco all altar del venere … Me protegge – Corelli

 

Synopsis: Norma e as sacerdotisas marcham solenemente.

O coro tem uma presença tremenda nesta ópera. Não só tem números independentes como estes, mas também tem funções cénicas e musicais em muitos números a solo. A gama musical, desde cenas de guerra a cerimónias religiosas e muitos acompanhamentos dramáticos testemunham a importância que Bellini atribuiu ao coro.

Norma viene: le cinge la chiomea – coro lirico siciliano

 

Ária famosa da Norma “Casta Diva”

Synopsis: Norma declara que o tempo para uma revolta ainda não está maduro, porque uma guerra ainda não pode ser ganha. Ela corta o azevinho para questionar o Deus. Numa lua cheia brilhante Norma implora a deusa da lua pela paz.

A ária é colocada numa noite de luar. O acompanhamento orquestral de Bellini é simples, cada palavra é compreensível pela contenção da orquestração e dá um significado dramático ao texto e, portanto, ao ritual dos druidas.

A ária foi escrita em estreita colaboração com Giuditta Pasta, a cantora da estreia. Diz-se que Bellini escreveu nada menos do que nove esboços. Com Pasta ele já tinha desenvolvido o papel de Amina em “La sonnambula”. Bellini escreveu originalmente a ária em “G major”. Mas Pasta queria um pouco mais fundo. Desde então, tem sido geralmente cantada na variante F major (ou seja, uma nota mais baixa).

Bellini escreveu um acompanhamento com um padrão fixo. Uma barra ondulada 12/8 permite à voz que canta a liberdade do rubato, a voz flutua acima da orquestra e a cantora pode assim dar à ária o seu próprio carácter. Verdi falou da “melodia longa” de Bellini. É sabido que o estilo de Bellini inspirou Chopin. Muitas das suas nocturnas são escritas exactamente desta forma:

 

Casta Diva tornou-se uma das maiores e mais importantes árias do Belcanto. A combinação de um amplo crescendo e uma melodia em constante aumento no tom move o ouvinte e, juntamente com a magia da noite de lua, resulta numa pintura de tom harmonioso e envolvente.

Primeiro ouvimos uma gravação ao vivo por Maria Callas a partir de uma gravação completa com o maestro Votto. A cantilena inunda, e o plano B alto é cantado com beleza.

Casta Diva – Callas

 

A maior Norma após o tempo de Callas foi provavelmente Joan Sutherland. Ela foi a primeira a redescobrir a chave original e cantou a ária em G major superior.

Casta Diva – Sutherland

 

Sonya Yoncheva atreveu-se a assumir o papel em 2016, depois de Anna Netrebko se ter finalmente abstido de cantar o papel no Jardim do Convento. Ela convenceu-a neste difícil papel. Ela faz desta oração uma cantilena sonhadora.

Casta Diva – Yoncheva

 

Norma foi um dos maiores papéis de Rosa Ponselle. Especialmente impressionantes são os belos ornamentos e a voz brilhante que faz brilhar a longa melodia.

Casta Diva – Ponselle

 

Synopsis: Norma’s em conflito. Ela também quer ser leal e chamar os gauleses à guerra, se Deus o mandar, mas ninguém sabe do seu amor por Pollione, o líder romano.

Norma vacila entre os seus dois papéis de amante e sacerdotisa. Mas no final as suas acções são determinadas pelo seu amor por Pollione. Ela anseia por ele do fundo do seu coração e está disposta a comprometer o destino da sua pátria.

Donizetti tirou a ária “Ah bello a me ritorno” da sua ópera “Bianca e Fernado”. Ouvimos Maria Callas neste exigente número salpicado de coloratura.

Ah bello a me ritorno – Callas

 

Adalgisa espera Pollione

Synopsis: Quando a cerimónia termina, todos partem. Apenas Adalgisa permanece sozinha. Ela espera Pollione, mas tal como Norma, sofre do conflito de consciência. Pollione aparece e implora-lhe que vá com ele para Roma. Adalgisa hesita em quebrar o juramento das suas sacerdotisas. Mas finalmente promete vir ao acampamento de Pollione no dia seguinte.

 

Domingo só cantou o Pollione ao vivo sete vezes, mas viu o papel como ideal para a sua voz.

Va crude – Domingo / Cossotto

 

Adalgisa visita Norma

Synopsis: Norma está na sua casa remota, onde a sua confidente Clothilde cria as duas crianças Normas e Polliones. Norma soube que Pollione foi chamada de volta a Roma. Adalgisa visita-a inesperadamente. Ela confessa a Norma o seu amor por um homem e quer que Norma a liberte do seu voto de castidade. Norma recorda-se da sua própria situação quando estava apaixonada e segue o seu pedido.

É um dueto comovente das duas sacerdotisas. Musicalmente especialmente belo é o final de uma cappella das duas vozes (a partir de 10.09).

Oh rimembranza. Io fui cosi rapita – Callas / Simionato

 

Pollione aparece – Adalgisa e Norma reconhecem a verdade

Synopsis: Nesse momento, Pollione entra na sala. Quando Norma percebe que Pollione é amante de Adalgisa, ela revela o seu segredo. Ambas as mulheres estão em estado de choque. Pollione promete ser fiel a Adalgisa, mas não quer viver mais com Pollione.

Oh di qual sei tu vittima – Callas / Simionato / del Monaco

 

 

O grande terzetto com uma voz como uma seta em chamas

Synopsis: Norma treme, ela é chamada ao altar e jura, cega de raiva, vingar-se de Pollione, que tem de deixar a casa em paz.

Em Norma, a ornamentação da parte vocal não visa o virtuosismo (como nas óperas de Rossini), mas é um portador de sentimentos. Nesta passagem, é a raiva de Norma. Curiosamente, também foi dito que Giuditta Pasta utilizou os seus fioritures com parcimónia e só os utilizou onde serviu um propósito dramático.

Também a parte de Pollione pertence às partes exigentes devido aos ornamentos difíceis e requer uma técnica de canto estupenda.

Ouvimos o grande trio da final com três grandes vozes na gravação do Callas de 1954. Ouvimos os brilhantes fogos de artifício do Callas a partir das 14h30. É um som como uma seta cintilante, único como só Callas o poderia fazer. Ouvindo, pode-se literalmente sentir a sua voz a arder.

Perfido! Vanne si, mi lascia indegno – Callas / Simionato / del Monaco

‘ mobile_image=” attachment=” attachment_size=” format=’16-9′ width=’16’ height=’9′ conditional_play=”’ av_uid=”]

 

 

 

NORMA Acto 2

 

 

 

 

 

A cena da adaga no quarto das crianças

Synopsis: É de manhã. As crianças estão a dormir. Norma aproxima-se delas com uma adaga na mão. Ela é incapaz de as matar, prevalece o amor materno.

O modelo literário da ópera de Soumet previa, neste momento, um assassinato de crianças. Mas Bellini e o seu libretista mudaram o enredo. Bellini não tinha inclinação para histórias de horror, como muitos dos compositores românticos e contemporâneos. Assim, ele também renunciou a uma cena louca, para não inflar ainda mais o final. Mesmo sem o assassinato, é uma cena comovente. Apenas alguns foram capazes de colocar sentimentos tão magistralmente em tons como o Mestre Siciliano.

I figli uccido, teneri teneri figli – Callas

 

Synopsis: Ela chama por Adalgisa e sugere que leve as crianças ao acampamento romano, e que parta com elas e Pollione para Roma.

Norma tem o habitual triângulo amoroso como tema. Invulgarmente, os rivais desta ópera não são dois homens, mas sim duas mulheres. Este facto faz de Norma uma ópera muito especial. As cenas de duas vozes femininas inspiraram Bellini e pertencem à maior da literatura da ópera.

Deh, con te ti prendi – Sutherland / Caballé

 

O grande dueto de Norma e Adalgisa – ” Mira, o Norma ”

Synopsis: Mas Adalgisa recusa-se, em vez disso quer ir a Pollione e pedir-lhe que faça as pazes com Norma novamente.

Mira o Norma: É talvez o dueto mais belo e mais conhecido de Bellini, cantado pelas duas vozes femininas de Norma e Adalgisa. Mais uma vez Bellini faz a orquestra tocar um acompanhamento balançante na primeira parte e uma melodia íntima toca o ouvinte. Depois as duas sacerdotisas cantam as vozes com belas ornamentações no encantador intervalo de terços. Na segunda parte, rápida, Bellini sincopa as vozes e acrescenta um belo efeito com a oitava escala de notas pontilhadas.

Ouvimos um casal simpático na gravação de Marylin Horne e Joan Sutherland. John Steane, o famoso crítico inglês, comentou os dois: “A parceria Horne-Sutherland é a mais brilhante da história da gravação”. Kesting comentou sobre a gravação: “Nas linhas de voz paralelas, experimentamos um virtuosismo sem paralelo após a guerra”. Ouçam, por exemplo, o final às 5:14!

Mira, o Norma – Sutherland / Horne

Ouvimos novamente a mesma cena na gravação do Votto com Maria Callas e Giuliana Simionato. De um ponto de vista dramático e musical, é a contrapartida da primeira gravação, a ênfase é colocada no drama e menos na beleza. O final é eletrizante, o aplauso frenético. Kesting escreve sobre esta gravação: “Um clímax traz a frase “Ah si fa core, abbracciami”, onde Callas pega num C alto com ataque perfeito e deixa-o respirar num diminuendo – o público, no início sem fôlego, respira literalmente no final do tom com o cantor”.

Mira, o Norma – Callas / Simionato

 

A terceira gravação é de Rosa Ponselles’. Kesting: “Perfeita nas linhas de voz paralelas, dançando com a música, com um sentido de oportunidade fabuloso”. Por exemplo, ouça a cena de 2.03, 5.14 e 6:19!

Mira, o Norma – Ponselle / Telva

 

Synopsis: ambos estão profundamente emocionados e juram a sua amizade.

É uma bela e animada conclusão desta grande cena de Adalgisa e Norma.

Si fino all’ore estreme – Callas / Ludwig

 

 

Os guerreiros estão prontos para a guerra

Synopsis: Os guerreiros gálicos estão reunidos na floresta.

.

Não parti – Bonynge / LSO Chorus

 

 

Norma proclama guerra

Synopsis: Mas Oroveso deve confortar os guerreiros. Norma ainda não recebeu nenhum sinal do céu. Entretanto, Norma soube que a tentativa de Adalgisa foi em vão. Pelo contrário, Pollione até jurou roubar Adalgisa do templo. Norma treme de raiva e ataca o escudo, o sinal de guerra.

Guerra! Guerra! – Callas / Rossi

 

 

Pollione é apanhado

Synopsis: O ritual da guerra exige um sacrifício. Há uma mensagem de que um romano foi apanhado a tentar entrar no templo. Ele é trazido para aqui. Pollione aparece em grilhões. Norma exige que ele seja sacrificado por ela. Mas ela hesita. Ela exige ser deixada sozinha com ele, onde exige que ele saia de Adalgisa. Mas Pollione não está pronta. Norma ameaça sacrificar Adalgisa na fogueira.

Ouvimos Maria Callas e Mario Filippeschi nesta excitante cena. Maria Callas canta a sua parte com uma energia quase agressiva e envolvente. Ouve-se apenas o início e o fim deste dueto.

In mia man alfin tu sei – Callas / Filippeschi

 

Synopsis: Norma diverte-se com a dor de Pollione.

Gia mi pasco – Callas / Filippeschi

 

O grande final – a renúncia a Normas e Pollione

Synopsis: Norma deixa os gauleses voltarem e anuncia que outro sacrifício terminará na fogueira. É uma sacerdotisa que quebrou o seu juramento de castidade. Mas ela não nomeia Adalgisa, mas acusa-se a si própria. Pollione movida reconhece a sublimidade de Norma e sente novamente o amor acreditado perdido. Está agora pronta para morrer com ela.

Qual cor tradisti – Callas / Simionato / del Monaco / Zaccaria

Norma implora ao seu pai

Synopsis: Adalgisa pede ao seu pai para cuidar dos seus filhos. Repugnado, ele recusa-se. Mas Norma apela ao seu coração e ele promete-lhe. Pollione e Norma escalam a estaca juntos.

Estamos a ouvir uma gravação de Leyla Gencer. A sua actuação vocal é incrivelmente dramática e comovente. Gencer foi uma contemporânea de Callas e uma especialista de renome do repertório de Belcanto, infelizmente ela foi largamente ignorada pela indústria discográfica.

Deh, non volerli vittime!

 

Para muitos peritos a cena “Padre tu piangi” serviu de modelo para Richard Wagner para Tristão e Isolda. Wagner escreveu numa carta sobre Norma: “De todas as criações de Bellini, Norma é a que, para além da mais rica melodia, une as brasas mais íntimas com a verdade mais profunda”. Wagner conhecia bem Norma, tinha-a conduzido repetidamente durante o seu tempo em Riga. Wagner não perdeu a sua estima pelo italiano, mesmo na velhice.

Ouvimos o pedido de Norma ao seu pai numa bela cena com Montserrat Caballé.

Ah padre un prego ancor – Caballé

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Recomendação de gravação of the opera NORMA

 

EMI, Maria Callas, Giulietta Simionato, Mario del Monaco sob a direcção de Antonino Votto e da Orquestra e Refrão de La Scala di Milano.

 

 

 

Peter Lutz, opera-inside, o guia de ópera online sobre NORMA de Vincenzo Bellini.

 

 

 

 

 

 

 

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *